Dedo apertando e abrindo cadeado

DESTRAVE O POSSÍVEL HORMÔNIO QUE FAZ A COVID-19 PARECER UM SIMPLES RESFRIADO!

POR QUE ALGUMAS PESSOAS SOBREVIVEM AO COVID-19 E OUTRAS NÃO?

Alguma vez você já se perguntou por que para algumas pessoas a COVID-19 parece ser um simples resfriado e para outras o mesmo vírus leva a óbito?

Muita gente gostaria de saber o segredo das pessoas que quase não têm reação, até mesmo as indústrias farmacêuticas que lucraram milhões neste período de pandemia com inúmeras pessoas em busca da sobrevivência. 

A boa notícia é que talvez você não precise mais gastar rios de dinheiro para lutar contra a COVID-19. Pesquisadores têm se debruçado em um achado muito interessante, que parece ser a resposta para algumas perguntas, sobre essa blindagem que algumas pessoas têm a esse vírus.

Não é novidade para ninguém que pessoas obesas têm maiores chances de vir a óbito por causa do COVID-19. Mas, um detalhe que pouca gente sabe é que a obesidade é algo multifatorial e não apenas o fato de ser sedentário e comer muito leva à obesidade, outros fatos podem desencadear esta patologia.

Eu pude ver a diferença de um obeso que tem a produção deste hormônio destravada na luta contra a COVID-19  de maneira mágica.

Eu recebi a mensagem de uma aluna muito preocupada, dizendo que não poderia comparecer ao treino, porque o marido tinha sido diagnosticado com COVID-19.

Com tantos casos de pessoas obesas morrendo por causa da COVID-19, fiquei muito preocupado com a situação dele de obesidade e se alimentando mal… Eu temia que o pior acontecesse. 

Mas, tinha uma coisa que diferenciava ele dos demais obesos que eu não tinha levado em consideração. Na verdade, com tantas informações e notícias sobre a pandemia, às vezes as ruins são as que mais nos marcam.

Não sei se você sabe, mas vários estudos têm indicado que é melhor você ser um obeso ativo do que um magro sedentário e talvez o fato dele ser uma pessoa ativa, mesmo com um grau elevado de obesidade, isso tenha sido o que salvou ele de complicações com a COVID-19.

Acredite: Ele só soube que tinha sido infectado com a COVID-19 porque teve contato com um colega infectado e decidiu fazer o teste. Mas, tanto ele quanto a esposa, ambos ativos, estavam assintomáticos.

Print de conversa de Whatsapp: homem com covid-19 assintomático.

Sabe aqueles sintomas de falta de ar, perda do paladar, olfato e os demais sintomas da COVID-19? Ele não teve nenhum deles e um estudo científico publicado recentemente indica que o exercício físico pode ter sido o responsável por isso. 

COMO O EXERCÍCIO FÍSICO PODE BENEFICIAR NO COMBATE À COVID-19?

Que a prática regular de exercício físico é benéfica para a saúde, todos nós já sabíamos!

O exercício físico pode ser ótimo para o tratamento de doenças como:

  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Osteoporose;
  • Fibromialgia;
  • Dor crônica;
  • Obesidade;
  • E muitas outras doenças.

O que não sabíamos é que a prática de exercício regular pode ser um aliado na luta contra a COVID-19, por causa da liberação de um hormônio específico durante o treino.

Antes de falar deste poderoso hormônio que, possivelmente, pode te ajudar no combate a este vírus, eu quero chamar sua atenção para algo…

Você sabe que pessoas com hipertensão, diabetes e outras doenças metabólicas são consideradas grupo de risco e podem vir a óbito ao contrair este vírus, não é? 

A boa notícia é que a maioria dessas doenças que pode ser fator de risco para a COVID-19, pode ser tratada com a prática regular de exercício físico e, em alguns casos, dispensando até o uso de medicamentos que de alguma forma acabam gerando alguns efeitos colaterais.

O problema é que isso é pouco divulgado, por dois motivos: o primeiro é que existe uma indústria que lucra rios de dinheiro com a sua desinformação te vendendo remédios e mais remédios.

Muitos remédios e  um copo de água.

O segundo motivo é que algumas pessoas preferem soluções mais fáceis e se puder optar por uma simples pílula que “resolva os problemas” sem fazer muito esforço, essa sem dúvidas será a escolha da maioria das pessoas. 

Eu lembro que quando iniciou a quarentena eu fui criticado por uma postagem em meu Instagram: Mostrei um gráfico indicando os casos de morte nos Estados Unidos por causa da coronavírus e fiz uma comparação com o gráfico de obesidade.

Simplesmente, citei que o número elevado de mortes poderia ter relação com a quantidade de obesos no país e comecei a animar as pessoas a se exercitarem.

Sabe o que falaram de mim?

Que eu estava apelando, que as pessoas obesas ficariam preocupadas com medo de morrer e que já era tarde demais para elas mudarem hábitos, pensando em reverter o quadro de obesidade.

Se você me conhece bem, sabe que essa jamais seria minha intenção. Inclusive, disponibilizei treinos gratuitos, fiz lives… Tudo para ajudar o máximo de pessoas que eu conseguisse a se exercitar durante este período em suas casas.

Algumas pessoas aproveitaram a oportunidade e colheram excelentes frutos, como você pode ver abaixo alguns depoimentos:  

Print Whatsapp cliente

Outras pensaram que era besteira fazer exercício em casa e que treinar durante o isolamento social não ia adiantar de nada.

O problema é que foram quase 5 meses de isolamento social, as coisas estão voltando a funcionar normalmente e o vírus continua infectando pessoas e mais pessoas.

Quem aproveitou este período para se exercitar e sair do grupo de risco, hoje tem uma vida mais saudável e com menos risco de morte pela COVID- 19.

 E para completar, além dos efeitos crônicos de regulação da pressão, triglicerídeos, açúcar no sangue e vários outros benefícios a longo prazo que o exercício pode oferecer na luta contra a COVID-19. 

Existe um outro possível benefício que tem sido pesquisado recentemente e que você pode começar a se beneficiar e já blindar seu corpo contra este vírus, agora mesmo! 

O incrível é que este hormônio pode beneficiar até mesmo idosos e obesos.

Só para fechar e eu falar sobre este hormônio, eu tive a oportunidade de presenciar o caso de uma outra aluna obesa que sobreviveu a COVID-19, sem graves sintomas e essa aluna tem muitas outras complicações. Tanto que só poderá voltar a trabalhar depois que a vacina sair.

Ela é cadeirante, asmática, hipertensa e faz o uso de medicamentos para a ansiedade. O prognóstico dela não era dos melhores, tenha certeza!

Mas, ela também faz exercício físico e, mais uma vez, talvez esse simples fato tenha sido a chave para ela ter sobrevivido a COVID-19.

IRISINA: O HORMÔNIO QUE POSSIVELMENTE PODE COMBATER À COVID-19

Há muito tempo este hormônio tem sido pesquisado e inúmeros benefícios tem sido percebido com a liberação deste hormônio, principalmente no tratamento de Alzheimer.

Mas, o que um grupo de pesquisa descobriu recentemente pode virar o jogo na luta contra a COVID-19. 

Antes de mais nada, preciso te alertar que a irisina, o hormônio que possivelmente pode combater a COVID-19, não é uma vacina que vai te impedir de ser infectada pelo vírus. Este hormônio parece ser uma excelente arma no tratamento da doença.

Dna e Imagem de humano em azul.

Um grupo de pesquisa da Universidade Estadual de São Paulo, analisando um banco de dados fez uma descoberta surpreendente. Este banco de dados foi de uma pesquisa científica que buscou analisar a ação da irisina em hormônios da tireóide em células que armazenam gordura.

Nesta análise, eles perceberam que as células tratadas com irisina tiveram expressões de genes alteradas. 

Com isso, eles decidiram analisar neste mesmo banco de dados se havia alguma possibilidade da irisina alterar alguns genes específicos que são fundamentais para que o vírus se reproduza dentro do corpo. 

Além disso, a irisina parece ser importante para a manutenção de expressão do gene TRIB3, que parece reduzir a replicação do vírus na célula. 

Este gene tem sua expressão reduzida em pessoas idosas e talvez isso explique porque esse grupo está mais vulnerável a complicações por causa do COVID-19.

Um outro ponto que vale a pena lembrar e tem sido indicado pelas pesquisas científicas é que pessoas obesas têm menores níveis de irisina e maiores quantidades da molécula receptora do vírus, oferecendo à COVID-19 um ambiente totalmente favorável para sua reprodução e casos de complicações.

Mas, se essas hipóteses estiverem realmente corretas, você pode começar agora mesmo a aumentar seus níveis do possível hormônio que combate a COVID-19, de maneira totalmente natural e sem precisar investir rios de dinheiro.

Talvez você já tenha feito vários investimentos em medicamentos para se prevenir e até mesmo fortalecer sua imunidade e está tudo bem!

Não estou dizendo aqui para você simplesmente suspender o que você está tomando…

Mas, quero te convidar a acrescentar algo que pode te ajudar a fortalecer sua imunidade, possivelmente diminuir a reprodução do vírus no seu corpo e, de quebra, vai te fazer perder gordura e combater a flacidez.

A PRÁTICA REGULAR DE EXERCÍCIO FÍSICO!

A irisina é um hormônio liberado pelo músculo através da prática de exercícios físicos!

imagem homem e mulher fazendo exercício.

Muitas pessoas ficaram sedentárias por causa do isolamento social e algumas delas mesmo com a retomada de algumas atividades ainda estão receosas em sair, preferindo ainda se manter em casa, por cautela.

Por isso, eu vou te ajudar com um treino simples para você fazer em casa usando o peso do seu próprio corpo e alguns utensílios domésticos, seguido de vídeo com execução do exercício.

O legal é que este treino, além de aumentar o seu nível do possível hormônio que combate a COVID-19, vai reduzir sua flacidez e fazer você perder gordura.

VAMOS AO TREINO!

AGACHAMENTO – 8 REPETIÇÕES


REMADA CURVADA – 8 REPETIÇÕES


ABDÔMEN PRANCHA – 15 SEGUNDOS


ELEVAÇÃO DA PELVE – 8 REPETIÇÕES


Faça todos os exercícios acima, descanse 45 segundos e repita a série mais 2 vezes. Depois que você fizer as 3 séries do treino resistido, como indicado acima, você vai fazer o treino cardiovascular abaixo.

CORRIDA ESTACIONÁRIA – 30 SEGUNDOS


TOCANDO NO PÉ – 30 SEGUNDOS


CORRIDA ESTACIONÁRIA – 30 SEGUNDOS


POLICHINELO ADAPTADO 30 SEGUNDOS


Faça todos os exercícios acima, descanse cerca de 45 segundos e repita a série mais 3 vezes.

Eu sei que muitas vezes começar é o passo mais difícil, por isso eu fiz um treino bem simples, mas muito eficiente para você!

CONCLUSÃO

Fazer exercício físico vai muito além de um aspecto estético, é uma questão de saúde pública que precisa ser levado a sério!

Que o exercício físico ajuda no combate à hipertensão, diabetes, obesidade e várias outras doenças nós já sabíamos e agora pode contar com o exercício físico para o combate de um dos maiores vilões da humanidade dos últimos tempos: o Covid-19.

Fazer exercício físico não vai te impedir que você seja infectado pelo vírus, mas vai ajudar seu corpo a lutar contra a reprodução do vírus em suas células.

Além do mais, o exercício físico ajuda a melhorar a imunidade e nós já sabemos que uma boa imunidade é importante para reduzir e evitar complicações.

Tente fazer exercícios de 2 a 3 vezes na semana, isso vai te ajudar a se proteger de diversas doenças e, de quebra, vai te dar um corpo mais magro e bonito.

Espero, de verdade, que essas dicas tenham te ajudado e que a partir de hoje você tenha uma vida mais ativa.

Se você ficou com alguma dúvida pode deixar sua pergunta aqui abaixo que terei a maior satisfação em responder!

Um grande abraço, do seu Personal!

Energiaaaaaaaaaaaaaa!   

Leave a Reply

Your email address will not be published.Email address is required.